Perguntas Frequentes


A Aldeia Multiétnica, que ocorre em julho, e o Encontro de Culturas são eventos distintos?

Não. A Aldeia Multiétnica é a primeira etapa do Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros, que nos anos anteriores também incluiu o Encontro Quilombola e a Feira de Experiências Sustentáveis do Cerrado em sua programação. Juntos, todos esses encontros formam um só evento, um grande Encontro de Culturas, realizado tradicionalmente na segunda quinzena de julho. 

Como faço para participar da vivência na Aldeia Multiétnica?

Para participar, você precisa acessar o site www.aldeiamultietnica.com.br e entrar na seção PACOTES do menu. Após  efetuar o pagamento, você deve encaminhar um e-mail para aldeia@encontrodeculturas.com.br com o comprovante de pagamento. É possível realizar o pagamento pelo PagSeguro ou por depósito na seguinte conta corrente:

Banco do Brasil - 001
Agência: 4546-2
Conta Corrente: 8437-9
Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge
CNPJ: 10.680.513/0001-44

* Após o pagamento, é preciso enviar um comprovante para o e-mail aldeia@encontrodeculturas.com.br para confirmar sua inscrição.

Se eu não comprar o pacote da vivência, ainda poderei visitar a Aldeia Multiétnica?

Sim. A experiência da vivência completa é única e representa o propósito da Aldeia Multiétnica – quando todos incorporam-se ao cotidiano de uma aldeia indígena –, mas também abrimos para visitação todos os dias, das 14h às 18h, para que mais pessoas tenham a oportunidade de realizar essa troca intercultural. O preço da entrada será  R$ 53 (sujeito a mudanças), o que também dá direito à visitação dos atrativos da terra, como o rio Couro e as cachoeiras Almécegas I e II. Pedimos, no entanto, que essas entradas sejam adquiridas antecipadamente via site para que não trabalhemos com dinheiro no local. 

Posso participar da Aldeia sem hospedagem?

Sim. Neste caso, consulte-nos pelo e-mail aldeia@encontrodeculturas.com.br

Posso participar da Aldeia sem alimentação?

Não. Todos os pacotes, sem exceção, incluem alimentação (as três refeições principais). Faz parte da experiência da vivência realizar as refeições coletivamente.

Por que os preços da vivência na Aldeia são esses?

Os preços dos pacotes da vivência na Aldeia Multiétnica são minuciosamente calculados pela equipe técnica da Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge, que realiza o evento desde 2007. São calculados os custos com alimentação (café da manhã, almoço e jantar) por 7 dias, contratação de profissionais que trabalham diariamente durante o evento, o transporte e a alimentação dos grupos indígenas que saem de suas aldeias em diversas regiões do Brasil para participarem do evento, fora os gastos com infraestrutura e manutenção do espaço, que mantemos durante o ano inteiro. Para realizarmos um evento desse porte em um ano sem apoios e patrocínios financeiros do governo e de empresas parceiras, dependemos dos pacotes vendidos e das entradas diárias para pagar as despesas e dar continuidade à luta pela valorização da cultura dos povos indígenas. Caso contrário, a realização do evento torna-se impossível.

Como é a vivência na Aldeia Multiétnica?

No evento, respeitamos a dinâmica indígena, que é naturalmente mais livre e passa por momentos decididos pelas próprias lideranças. A intenção é que, iniciada a vivência, todos incorporem-se ao cotidiano de uma aldeia. No nosso caso, estaremos convivendo com diferentes etnias indígenas ao longo da semana. A vivência possibilita o aprendizado sobre os fundamentos da organização social indígena, além de rudimentos do idioma, do artesanato, da gastronomia, das pinturas corporais, dos cantos, das danças e de outras manifestações culturais desses povos. É a oportunidade de conviver com líderes, pajés, artesãos, agricultores. Uma dinâmica que oferece conhecimentos históricos, culturais e sociais das etnias participantes e dos povos indígenas em geral. Indígenas e não-indígenas têm a oportunidade de trocar conhecimentos e experiências em rodas de prosa, oficinas, exposições fotográficas e exibição de filmes.  Pautas como educação, saúde e políticas públicas ganham destaque em debates que envolvem lideranças indígenas e representantes do poder público.

O que devo levar para a vivência na Aldeia?

É imprescindível trazer barraca (ou rede), lanterna, repelente, cobertor e roupa de frio. À noite faz muito frio, por isso é importante trazer o máximo de agasalho, cobertor e sacos de dormir que puder. Durante o dia e à tarde faz bastante sol, por isso traga roupa de banho e roupas frescas e confortáveis.

A Aldeia Multiétnica é uma aldeia de verdade?

A Aldeia é um território criado em uma propriedade a 20 km de Alto Paraíso de Goiás, na Chapada dos Veadeiros. Neste período receberemos diferentes etnias indígenas para uma experiência de convivência e imersão na natureza e na cultura indígena. Dentro dessa nova propriedade estão o rio Couros e as cachoeiras Almécegas I e II, que poderão ser visitadas pelos participantes do evento à vontade.

Como faço para chegar na Aldeia?

O transporte até a Aldeia Multiétnica é por conta do participante. Placas indicativas e mapas serão divulgados após a inscrição para facilitar o acesso. A entrada para a aldeia está localizada a 5 km antes de Alto Paraíso de Goiás, vindo de Brasília. A estrada de terra que leva até o local tem 14 km e está em boas condições. Você pode utilizar o grupo do Facebook Central de Caronas - Encontro de Culturas / São Jorge para organizar caronas até o espaço, já que o fluxo de turistas aumenta bastante nessa época.

Veja outras opções para chegar até a Aldeia Multiétnica:

Carro | Partindo de Brasília, siga para a saída norte, sentido Planaltina. Dirigindo em frente, cerca de 10 km depois de Planaltina, você deverá pegar uma saída à direita seguindo a indicação de Alto Paraíso. Siga em frente, passando por São Gabriel e São João D'Aliança. A 5 km de Alto Paraíso, fique atento à entrada para o Vale Verde, km 159 da GO 118, à esquerda da estrada. É nessa entrada que você deverá virar. A partir dela, até a Aldeia Multiétnica, serão 14 km de estrada de terra, em boas condições.

Caronas | o sistema de caronas funciona muito bem na região da Chapada dos Veadeiros. Para combinar seu transporte até a Aldeia Multiétnica, entre em contato com os participantes de algum dos grupos abaixo:

Ônibus | os ônibus saem de Brasília e param em Alto Paraíso. A companhia é a Real Expresso (telefone 61/ 2106-7100). De Brasília a Alto Paraíso: diariamente, com saídas às 10h, às 19h e às 21h; de Alto Paraíso a Brasília: diariamente, com saída às 14h45. O valor da passagem é de R$ 46,95. Da rodoviária, você precisará conseguir uma carona ou frete até a Aldeia Multiétnica.

Frete particular | motoristas de confiança realizam o transporte em carros particulares diariamente. Entre em contato para saber sobre a disponibilidade. O valor, por pessoa, gira em torno de R$ 80 (BSB - Alto Paraíso), a negociar (carros com capacidade para quatro passageiros). Negocie o valor de Alto Paraíso até a Aldeia Multiétnica. Sugestões: João Tomé (62/9 9666-1007); Jamaica (61/9 8238-4027) e Alexandre (61/9 9144-3662 ou 62/9 9692-3971). 

Como é a alimentação da Aldeia Multiétnica? 

A alimentação é preparada por nossos parceiros da comunidade do Sítio Histórico Kalunga, com comidas típicas de Goiás, simples e muito saborosas. No café da manhã são servidos pães, bolos, frutas e café. No almoço e jantar, arroz, feijão, legumes (abóbora ou chuchu ou outros da época), saladas e carnes (peixe, boi ou frango). Pedimos, por favor, que informe caso tenha alguma restrição alimentar para que possamos tomar as devidas providências até o evento. Temos uma lanchonete que também venderá bolos, caldos, tortas salgadas, sucos, café e água, com valores à parte do pacote, durante todos os dias da vivência. 

Existe alguma restrição com os povos indígenas presentes?

O contato com as etnias é livre e visa o respeito a cada uma. Entrar em contato com elas é como viajar para diferentes países, com culturas, costumes e línguas próprios. Desta forma, sinta-se à vontade para perguntar o que gostaria de saber, mas respeite os limites e o que não pode ser dito (algumas culturas zelam por seus segredos, pois assim conseguiram sobreviver estes 517 anos). Pergunte se pode tirar foto, filmar e gravar áudios. Sempre pergunte os valores de pinturas e artesanatos, pois atualmente a troca pelo dinheiro é a forma de sustentabilidade que muitos desses povos encontraram em suas aldeias – dependendo da região, normalmente por conta da escassez de água, pesca ou caça em seus territórios tradicionais. 

O espaço da Aldeia Multiétnica é aberto para visitação durante o ano inteiro?

Não. A Aldeia Multiétnica só fica aberta para visitação nos períodos de atividades e eventos. No resto do ano o espaço fica fechado onde trabalhamos com a preparação de uma agroflorestal e na manutenção das estrutura. 

É possível realizar outros eventos no espaço da Aldeia Multiétnica?

Para propostas deste tipo encaminhe um email para aldeia@encontrodeculturas.com.br com informações sobre a propostas. Assim podemos avaliar possíveis parcerias e novas atividades.