Pacotes

Os pacotes da Aldeia Multiétnica podem ser comprados online. Veja abaixo as opções disponíveis:

Pacote Vivência Indígena

R$ 2.600,00 ESGOTADO

3º lote:

*De 10 de junho a 10 de julho
Inteira- R$ 2.600,00

Este pacote inclui alimentação (café da manhã, almoço e jantar), hospedagem em camping, todas as atividades da vivência durante os sete dias de Aldeia Multiétnica (de 13 a 20 de julho) e acesso livre aos atrativos naturais da propriedade onde é realizado o evento (Rio Couros e a Almécegas I e II).  São apenas 50 vagas!

Pacote Vivência Indígena (Sem Hospedagem e Alimentação)

R$ 1.340,00 ESGOTADO

Este pacote permite acesso a todas as atividades da vivência, porém, não inclui hospedagem nem alimentação. Estão inclusos ainda:

  • todas as atividades da vivência durante os sete dias de Aldeia Multiétnica (de 13 a 20 de julho)
  • acesso livre aos atrativos naturais da propriedade onde é realizado o evento (Rio Couros e a Almécegas I e II).
 

Para visitação 

Para quem pretende participar das atividades, estaremos abertos para a visitação de 14 a 20 de julho, das 14h às 18h. O valor da entrada é R$ 50,00.

Você pode adquirir seu ingresso no restaurante Taj Mahal, em Alto Paraíso, ou na portaria da Aldeia Multiétnica. 
Mais informações: 

Fernanda (62) 99852-7183
E-mail: info@tekoabrasil.com

Entenda como são calculados os valores dos pacotes da Aldeia Multiétnica e Vivências

Os preços dos pacotes da vivência na Aldeia Multiétnica são minuciosamente calculados pela equipe técnica da Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge, que realiza o evento há 12 anos (a serem completados em 2018).

Para deixar mais claro os custos aos quais nos referimos, decidimos apresentar infográficos que exemplificam detalhadamente estes custos:

Transporte

Em 2017, participaram da XI Aldeia Multiétnica sete grupos indígenas: os povos do Alto Xingu (MT), os Fulni-ô (PE), os Krahô (TO), os Kayapó Mebengokré (PA), os Guarani Mbya (SC), os Xavantes (MT) e os Rikbaktsa (MT). Destes, cinco fazem parte da rede de etnias que participam do evento desde a primeira edição. Eles são os responsáveis pelo conselho de lideranças indígenas que decidem quais etnias convidar e como a programação será realizada.  Em 2017, o valor do transporte de todos esses grupos (veteranos e convidados) ficou avaliado em R$ 81.703,00.

A princípio, para a realização da XII Aldeia Multiétnica, contaremos com a presença dos Povos do Alto Xingu (MT), do povo Krahô (TO), do povo Fulni-ô (PE), do povo Kayapó Mebengokré (PA) e do povo Guarani Mbya (SC). A contar pelo recurso empreendido com apenas estes grupos em 2017, prevemos que o transporte ficará avaliado em R$ 67.152,00*.

Abaixo os trajetos e valores gerais de cada um:


Sobre este valor:

É importante destacar que estes valores referem-se ao gasto que tivemos em 2017. Passagens aéreas e alguns outros tipos de transporte não possuem um valor tabelado e por esses grupos estarem localizadas em territórios de difícil acesso, os preços se mantém flutuantes.

Alimentação


Para a execução do projeto da Aldeia Multiétnica dependemos de uma equipe grande de colaboradores que em 2017 somou 60 profissionais das mais diversas áreas dando suporte para o evento.  Além dos trabalhadores, recebemos cerca de 160 indígenas convidados e 50 viventes.  Ao todo, são 270 pessoas se alimentando ao longo de sete dias.


Equipe


Conclusão

Para o bom andamento das atividades, disponibilizamos apenas 50 vagas para a vivência indígena. A meta é que todas sejam vendidas no primeiro lote pelo valor de R$ 1.700,00. Isso daria um total de R$ 85.000,00, suficiente para garantir o transporte de cinco etnias indígenas e parte do valor empreendido na alimentação na Aldeia Multiétnica. 

Valores como cachês aos indígenas, pagamento de pessoal, gastos com infraestrutura para o evento e manutenção do espaço, ainda dependem de bilheteria. 

Aspectos legais 

Todas as atividades da Aldeia Multiétnica serão conduzidas por princípios da legalidade e do respeito a soberania das comunidades indígenas e quilombolas integrantes da Rede de Saberes, assim as principais leis e recomendações abaixo serão expressamente seguidas: 

1. Respeitar os usos, costumes, crenças e tradições indígenas e observar as demais disposições da Constituição de 1988 (arts. 231 e 232), da Lei nº 6.001/73 (Estatuto do Índio) e da Convenção 169 da OIT - Organização Internacional do Trabalho (incorporada ao sistema jurídico brasileiro por meio do Decreto nº 5.051/2004).

2. Cumprir as normativas estabelecidas pela Lei nº 9.610/98 (Lei dos Direitos Autorais), pela Portaria nº 177/06/Funai (que dispõe sobre os direitos autorais e direito de imagem indígena).